Arquivo mensal: julho 2014

Na tua calmaria
Eu me perdia.
Eu me rendia.
Eu perdia a rédia.

Na tua voz mansa
que de tão vagarosa
descansa
eu desatento
fiz meu alento

Na tua cantoria rouca
eu de tão broca
me perdi na tua boca

Me achei no teu verso
me perdi no teu inverso
me vi submerso
nesse teu universo.